sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Silêncio




calado estou,calado permaneço
preso no selo do silêncio
em uma atmosfera densa e desconhecida
Procuro o silêncio do silêncio, a fim de silênciar-me
afim de satisfazer a satisfação
porque não é satisfatório o bastante..
Pois o fluxo não é constante, e sim cadênciado, instável e intermitente,
nesse momento o fluxo parece contido, congelado se tornou de maneira que até o ar parou não há o pulsar de um coração que inanimado se tornara, e a tristeza devora-me por dentro e meus os olhos oprimidos, sucumbem em lágrimas
que mundo é esse?? onde está o Porque, do Porque da vontade?
o querer do querer?? o Silêncio vasculha o desconhecido a procura de respostas somente reveladas no silêncio da razão

Um comentário: