quarta-feira, 17 de junho de 2009

uncertainties





As vezes é como se tivessemos a impressão,
que não sabemos mais o caminho de casa
de que casa viemos!, se é murada; se tem cães, e sem ladrilhos;

se é uma casa adornada
simples, suja,é apenas uma casa?? ou a A CASA?;

enfim perguntas borbulham na mente
isso se as mesmas surgirem;pois a sensação desconhecida do desconhecido
nos torna estranhos e inperceptiveis a nós mesmos,

parece que passei bem mais que uma borracha nas lembranças
princípios e existência! quem realmente sou? planos??

há planos!?uma angustia seguida do vazio
pequenas frustrações promovem também pequenos choques de realidade,

que nos sacodem no mar da vida
e vêmos que o mastro está podre, ou as velas estão recolhidas; que estamos perdendo velocidade, que o barco esta furado
e a agua está entrando, e o mesmo entrando cada vez mais adentro das profundas aguas;e um naufrágio eminente
faz nos pensar sobre as tempestades; faz nos querer um barco melhor e forte;

faz nos querer estar alerta, faz nos querer
estar o tempo segurando o timão,faz nos planejar melhor a viagem;

não passar em lugares perigosos,faz nos pensar
onde queremos chegar?onde estamos!?deveria estar aqui?

devia ter um barco melhor,quero ter um barco melhor
que garantias temos em estar vivos? em um balanço rápido,

vemos que mesmo quando temos algo não é definitivo o ter
no instante seguinte relativamente estamos sujeitos a não ter mais,

e em alguns momentos por mais que seja bom aos nossos
olhos ter, o melhor seria não ter.

Nenhum comentário: